O cão idoso.

Reserva do Rei Força Bruta - Hugo

Reserva do Rei Força Bruta – Hugo

Se você tiver um cão idoso, esta matéria o ajudará a entender suas necessidades especiais, para que permaneça saudável durante sua velhice.

Cães idosos tem necessidades especiais. Seus corpos estão começando a ficar mais lentos e o desgaste da vida começa a aparecer. A vida de cães pode variar muito, dependendo da raça, embora outros fatores também influam. Um bom início na vida “com cuidados e nutrição corretos enquanto o animal ainda é um jovem adulto” terá bons resultados quando chegar à velhice.

Estando com seu animal todos os dias, pode ser que não perceba a idade chegando. Com um pouco de cuidado extra, você fará com que seu cão viva confortavelmente e com visitas regulares ao veterinário, ele pode viver relativamente saudável até próximo do fim. Quando estiver com cerca de 8 ou 9 anos, é provável que comece a envelhecer. Raças gigantes podem ser consideradas velhas quando chegarem a cerca de 8 anos, enquanto cães sem raça definida podem viver até 15 anos ou mais.

>Reduzindo a velocidade
Enquanto o corpo envelhece, os órgãos vitais de seu cão também começam a deteriorar. Pode ser que ele fique menos ativo, necessitando de menos calorias e seus órgãos podem funcionar menos eficientemente. Já que seu corpo está ficando mais lento, pode não conseguir lidar tão rapidamente com doenças ou stress, então tente mantê-los a um mí­nimo possí­vel.

Você necessitará de paciência para lidar com seu cão mais velho já que ele ficará mais lento. Pode ser que ele não o veja ou o ouça tão be, mas quando ele não responde não quer dizer que está tentando ignorar. Ele precisará de mais ajuda e companhia agora. Seja paciente, ele merece!

>Dando conforto a seu cão idoso
Já que seu cão está menos móvel nesta fase de sua vida, irá passar mais tempo deitado em um lugar. Não permita que fique deitado em um local úmido e frio ou no sol quente por muito tempo. Mantenha sua cama em um local quente, livre de ventania e garanta que esteja bem acolchoada. Se o animal passar muito tempo deitado em uma superfì­cie dura ou áspera, especialmente no caso de cães de raças mais pesadas, pode desenvolver calos na pele em cima de ossos salientes em seu corpo. Estes calos podem ficar ulcerados e infeccionados, então é necessário providenciar bastante acolchoamento.

Deixe sua cama facilmente acessí­vel. Se tiver dificuldade subindo escadas, coloque um portão para evitar acidentes. Não se esqueça de que os sentidos de seu cão estão começando a falhar, e sua visão, audição e senso de direção podem não estar tão bons quanto eram. Isso quer dizer que pode ficar desorientado; então não faça muitas mudanças na casa ou em sua rotina normal. Tente não deixá-lo só por longos períodos, especialmente em lugares estranhos.

>Visitas regulares ao veterinário
Vacinas são tão importantes para cães idosos quanto para jovens. Cães mais idosos podem ser menos resistentes à doenças e podem não conseguir superar infecções tão facilmente. Isso pode dar a seu veterinário a oportunidade de examinar o animal regularmente (podendo recomendar check-ups mais freqüentes para alguns cães) e acessar o estado de saúde dos órgãos importantes, como a pele, coração, rins e fí­gado. O veterinário também checará se há algum crescimento anormal e analisará a condição da boca de seu cão.

Alguns problemas, como os renais, podem ser detectados cedo (antes dos sinais clínicos aparecerem) através de um exame de sangue. Amostras de urina também podem providenciar informações importantes sobre a saúde do cão, então vale à pena levar uma amostra de urina ao veterinário quando for a hora da vacinação de seu cão. Use somente recipientes limpos e secos para coletar e transportar a amostra de urina. Leve a amostra em uma jarra limpa, com tampa. Pode ser que seu veterinário forneça uma recipiente para coleta.

Esta também é uma boa hora para checar o peso de seu cão – perguntar a seu veterinário se está dentro do peso. O veterinário poderá informar os programas de alimentação corretos para seu cão. Enquanto seu cão envelhece e fica mais lento, ele necessita de menos calorias.

Algumas condições, como problemas de rim e de coração, podem apresentar melhora apenas com modificação de dieta. O veterinário poderá fornecer dietas especialmente preparadas ou poderá lhe explicar como preparar um a dieta especial em casa.

Peça sempre conselhos ao veterinário caso seu cão não esteja conseguindo urinar ou defecar corretamente. Muitas vezes isso indica um problema médico que pode ser facilmente resolvido. Ocasionalmente, acidentes ocorrem quando um cão não consegue ou não está com vontade de andar até uma porta. Outras vezes o controle destas funções corpóreas fica incontrolável. Nestes casos, tratamento pode ser dificultado e nem sempre será um sucesso.

>Outras considerações
Cães geralmente ficam mais lentos com o passar do tempo. Pode ser que ao invés de correr à sua frente, como fazia quando era mais jovem, agora ele contente-se em andar tranqüilamente ao seu lado.
(Para maiores informações sobre exercí­cios para cães mais velhos veja nossa página de exercí­cios).

Mantenha a pelagem de seu cão bem cuidada – isso ajuda a fazer com que se sinta mais confortável e saudável. Escovação melhora a circulação na pele e mantém o pelo brilhante e livre de nós. Para mais informações sobre como dar banhos e cuidar do pelo de seu cão veja a seção “Cuidando da Pelagem”. Cuidar da pelagem de seu cão regularmente quer dizer que você também pode ficar de olho em coisas anormais e em perda de pelo, feridas, irritação e evidência de pulgas ou parasitas. Você pode ver também se ele está como novos calombos ou batidas. Verrugas e tumores gordurosos benignos (lipomas) são comuns em cães idosos. Eles não devem causar problemas, a não ser que estejam em uma local que possa causar danos a outras estruturas (na pálpebra, por exemplo) ou onde sejam desconfortáveis, facilmente traumatizados. Seu veterinário pode analisar qualquer inchaço incomum “especialmente quando estiver crescendo rapidamente. O veterinário pode acalmá-lo e indicar o melhor tratamento. Caso seja necessária uma cirurgia, é melhor que seja feita no iní­cio.

Cheque as unhas de seu cão regularmente, elas podem ficar longas se ele estiver fazendo pouco exercí­cio. Isso é especialmente importante caso ele ande mais em pisos macios que não desgastam as unhas. Preste atenção especial aos esporões; às vezes eles crescem em curva e machucam a almofada. Você mesmo pode cortar as unhas, mas se não conhecer o processo, peça conselhos ao veterinário ou a um profissional do ramo.

Aproveite esta oportunidade para examinar a boca de seu cão, checar suas gengivas e dentes. Depósitos de tártaro marrom nos dentes causam mau hálito, doenças na gengiva e infecções. Caso permaneçam por tempo demais, podem fazer os dentes cair. Seu veterinário pode tratar os dentes e remover o tártaro e dentes soltos. Isso às vezes requer anestesia geral. É melhor prevenir ou minimizar a ocorrência de doenças dando regularmente a seu cão comidas duras (como biscoitos) pela vida toda. Você também pode escovar os dentes regularmente usando escova e pasta de dentes especial para cães.

>Chegando ao fim
Embora a decisão de trazer outro cão para a casa deva ser cuidadosamente pensada, muitos proprietários acham que um filhote pode dar a um cão idoso uma sobrevida. Embora sinta que jamais poderá substituir um cão idoso, um filhote pode ajudar quando da separação de seu velho amigo.

Certamente uma das decisões mais difí­ceis que um proprietário de cachorro tem a tomar é colocar um fim à vida de seu cão. Com sorte o fim virá em paz, em casa, durante o sono, mas para muitos cães é diferente.

Para cães que estão levando uma qualidade de vida ruim, sofrendo de doenças terminais ou que estão sofrendo dores constantes, é justo oferecer um fim rápido e indolor. Você deve discutir isso seriamente com o veterinário para que ambos concordem que eutanásia é o melhor fim para o cão. Deixe com que seu veterinário saiba o que pensa para não haver um desentendimento. No caso de cães, eutanásia é feita através de uma injeção indolor que faz efeito em poucos segundos.

A perda de um companheiro nunca é fácil e é difí­cil aceitar que seu cão não irá durar para sempre. Você pode fazer o máximo, com paciência e carinho, para que os últimos anos de seu cão sejam o mais confortável e divertido possível.

Fonte – Pedigree

Anúncios

O seu Bulldog tem PPPP?

Foto Yvonne Axling

Toda vez que entregamos um filhote, tentamos passar o máximo de informações aos proprietários para que ele possa crescer e se desenvolver da melhor forma possível junto à nova família.

Geralmente, o momento que antecede à aquisição do filhote é péssimo para esse fim, pois, com razão, todos estão loucos para ter o filhote em mãos e levá-lo para casa. Então, muitas informações importantes são perdidas/esquecidas.

Tentando achar uma forma de repassar ao menos os cuidados básicos aos novos proprietários de um Bulldog, criei uma regra simples de 4 (quatro) itens, todos eles começando com a letra “P”: PROTEÍNA, PESO, PASSEIO e PISO.

Começamos pela PROTEÍNA, aqui representada basicamente pelo uso de uma ração Premium ou, preferencialmente, Super Premium. A raça Bulldog, além de gozar de um excelente apetite, é exigente quanto à qualidade do alimento. Por isso, nada de economia na hora de escolher a ração. Tudo aquilo que for economizado em nutrição cobrará seu preço em pelagem, desenvolvimento ósseo/muscular, fezes e até mesmo sistema imunológico. Vale lembrar que o uso de guloseimas, embora permitido, deve ser controlado, sob pena desse “extra” acabar competindo/substituindo com o alimento Super Premium. Lembre-se: muito embora perfeitamente adaptado ao nosso estilo de vida, o Bulldog é essencialmente um carnívoro. Então, a palavra de ordem ainda é Proteína!

O PESO ideal está intimamente relacionado com a Proteína e, por isso, será mais facilmente alcançado com o uso de uma ração de qualidade. Sempre brinco com as pessoas que visitam nosso canil que todos os nossos Bulldogs passam um pouco de fome. Se comessem tudo aquilo que têm vontade já teriam morrido ou estariam sofrendo com problemas de saúde em função do sobrepeso. Essa é a realidade do Bulldog, um cão glutão e que ganha peso muito rápido! No caso do filhote, esse tópico merece um destaque maior, pois estamos falando de um cão brincalhão, que cresce muito rápido. O desenvolvimento da musculatura, ossos e tendões nem sempre acompanha o seu ganho de peso. Além desse aspecto, outro que chama atenção é a anatomia peculiar do Bulldog, sendo fato que a quase totalidade dos exemplares possui algum grau de displasia. Então, um filhote acima do peso certamente será um candidato a ter problemas de aprumos ou até desenvolver uma displasia de grau maior com reflexos em sua qualidade de vida. O cuidado com o peso também se aplica aos cães adultos, principalmente em função da respiração, coração e articulações. Enfim, procure uma dieta capaz de manter o Peso ideal em todas as fases da vida de seu Bulldog!

O PASSEIO representa aquela atividade física diária compatível com as limitações da raça. Ter uma rotina de passeios irá trazer muitos benefícios à saúde física e mental do seu Bulldog, a começar pela manutenção do peso ideal. Muitas vezes, apenas uma dieta correta, em quantidade e qualidade, não será capaz de colocar seu Bulldog em forma. Por isso a importância de uma atividade física, respeitando o calor e as limitações de cada cão. O mesmo se pode dizer da parte muscular, pois toda vez que temos um Bulldog forte temos também um cão com menor risco de problemas articulares e com uma melhor condição cardiorrespiratória. Por fim, mas não menos importante, está o stress causado pelo confinamento e o acúmulo de energia, os quais muitas vezes acabam gerando inúmeras patologias físicas e comportamentais. Então, mexa-se, vamos ao Passeio!

Por fim, por ser um cão pesado desde filhote, o PISO não-escorregadio é vital para o perfeito desenvolvimento ósseo e muscular do filhote, pois dará segurança às brincadeiras e atividades físicas. Evite exercícios/brincadeiras com seu Bulldog em locais onde o tipo de piso possa facilitar deslizes e escorregões. O mesmo se pode dizer do uso de escadas, assim como subir e pular do sofá. Se o chão da casa ou apartamento escorrega, mais um motivo para que os exercícios ocorram no pátio ou em parques, de preferência num belo Piso de grama!

Se você conseguir combinar os 4 “P’s” na rotina do seu Bulldog, certamente terá uma cão mais feliz, longevo e com uma melhor qualidade de vida.

giba-criadorcolaborador

Gilberto Medeiros

Colaborador do Bullblog e Criador de Bulldogs desde 2003

Canil Reserva do Rei

JOY…

Acima a foto artística feita em 2010 e a foto de podium de JOY ganhando a 1ª Copa de criação Nacional

Em junho de 2010 eu fotografei uma fêmea de Bulldog chamada JOY, ela havia chegado ao canil Reserva do Rei há poucos dias na ocasião da foto.

Foi adquirida para compor o plantel de fêmeas do canil e quando a vi fiquei impressionado com as qualidades técnicas quanto a padrão e a sua  beleza e harmonia apesar dela não estar na época em sua forma ideal, já que havia trocado de lar a poucos dias e estava em adaptação.

Na época comentei com o Gilberto Medeiros, amigo e proprietário do canil, que seria ”uma das melhores fotos” que eu tinha tirado de uma fêmea de Bulldog  desde o inicio da minha carreira. E não foi menos que isso, pois ao baixar no computador ambos ficamos um bom tempo contemplando a imagem na tela e admirando algo que quase fugia de uma foto e se mostrava como uma pintura. O fato de estamos saboreando um belo vinho no frio de julho na bela Porto Alegre  fez com que a contemplação se estendesse um pouco mais.. risos.

No último dia 25 de junho após ter amamentado uma linda ninhada a menos de 80 dias a JOY foi eleita na cidade de Joinville em Santa Catarina, o melhor Bulldog na 1ª Copa dedicada aos Bulldogs de Criação Nacional a acontecer em nosso país.  Um mérito concedido pelo Sr. Renato Abreu Rocha (criador pelo canil ROCSO – México), profundo conhecedor da raça e um dos árbitros mais carismáticos que se pode ver julgando Bulldogs. Foi uma grande noite para todos que valorizam a criação nacional. O nome completo dela é FORTUNE CITY BUNCH OF JOY, criação do Canil Fortune City e propriedade do Canil Reserva do Rei.

 

Bibbo Camargo – www.arteanimal.com.br

(41) 3364 8254 – 91943052

História da Foto

Ch. La Chata Alcapone - Canil Reserva do Rei

A História da foto desta vez trata de uma foto consagrada perante a comunidade criadora e amante da raça Bulldog.

Saiu na capa de uma revista no ano de 2009 e foi considerada por muitos criadores como uma das melhores capas de revista de cinofilia e por muitos também a melhor capa em que um Bulldog é protagonista.

Acho que quando gostamos de algo damos uma vida maior a tudo, e por vezes tudo se encaixa ou tudo conspira para que algo muito grande seja obtido. Aqui foi o caso de uma grande conspiração eheheheh.

O cão da foto chama-se Capo e pertence ao canil Reserva do Rei. Um cão lindo que representa muito bem a raça que pertence. Além de ter um temperamento sem igual. Junte-se a isso uma linda manhã as margens do Guaíba em Porto Alegre, um ótimo equipamento, um pouco de experiência em fotografia, um amor inconteste a raça a ser fotografada e a energia positiva dos criadores ajudando em cada detalhe necessário. Só podia dar em algo assim. Uma conspiração total.

Muitos perguntaram na época se a foto tinha sido feita em outro país antes da vinda do cão para o Brasil, ou as margens de um deserto e outros comentários dos mais variados.

O fato é que tenho muito orgulho em ter feito essa imagem tanto pelo cão fotografado como pela composição geral da foto.

Obrigado ao Gilberto e a Raquel, proprietários do canil Reserva do Rei pela oportunidade de captar essa imagem que entrou como um prêmio para minha vida profissional.

Em breve mais Histórias de fotos.

Abs a todos os Bulldoqueiros!

 

Bibbo Camargo – www.arteanimal.com.br

(41) 3364 8254 – 91943052

 

Criador Colaborador no Bullblog

Pessoal,giba-criadorcolaborador

Tenho uma super novidade para contar para vocês. A partir deste mês teremos um criador colaborador que escreverá para o Bullblog. O melhor de tudo é que trata-se de uma pessoa experiente e com conhecimento na raça, o que trará novos conteúdos, enriquecendo o nosso blog.

Vocês devem estar curiosos para saber quem é… trata-se do meu querido amigo Gilberto do canil Reserva do Rei.

Então aguardem que vem novidade por aí!!!

Bullblog visita Reserva do Rei

Raquel e Gilberto do Reserva do Rei comigo no meio

Raquel e Gilberto do Reserva do Rei comigo no meio

Hoje de manhã, aqui em Porto Alegre, estava uma manhã linda de sol, e o Bullblog que está de passagem na capital, marcou uma visita exclusiva ao canil Reserva do Rei.

Zidane

Fui muito bem recebida pelos queridos Raquel e Gilberto e mais uma turma de 17 bulldogs, sendo 13 fêmeas e 4 machos. Zidane nos recepcionou já na entrada da casa, todo simpaticão. Depois foi a vez de Zé Pequeno, o mais novinho da turma, Lula, Mira, Alcapone, Doris, Chispa e muitos outros.

Deitei e rolei com essa turminha, foi uma manhã muito agradável e uma ótima oportunidade de conhecer o canil Reserva do Rei. Ver o carinho que esses cães são cuidados me deixa muito feliz, porque são criadores como esses que devem ser reconhecidos e valorizados no nosso país.

%d blogueiros gostam disto: